O anúncio de Kimia Alizadeh ocorre quando uma onda de protestos contra o governo irrompe em todo o país

A principal atleta feminina do Irã, Kimia Alizadeh, anunciou que deixou o país permanentemente.

Alizadeh, 21 anos, fez a declaração chocante no Instagram ontem, escrevendo que não queria fazer parte da ‘hipocrisia, mentiras, injustiça e bajulação do regime iraniano’.

Conhecido carinhosamente no Irã como “ O Tsunami ”, Alizadeh fez história para o país em 2016 depois de ganhar uma medalha de bronze em taekwondo nos Jogos Olímpicos do Rio .

Sua deserção ocorre quando protestos contra o governo varrem o país – depois que o Irã admitiu abater acidentalmente um avião de passageiros ucraniano na última quarta-feira, em meio a um caloroso confronto com os EUA. Todas as 176 pessoas a bordo foram mortas.

Em suas publicações nas redes sociais, Alizadeh se descreveu como ‘uma das milhões de mulheres oprimidas no Irã que tocam há anos’, afirmando que as autoridades da república islâmica sempre usaram seu sucesso como uma ferramenta de propaganda.

“Usei o que eles me disseram e repeti o que eles pediram. Cada frase que eles pediram eu repeti. Nenhum de nós importa para eles, somos apenas ferramentas.

Ela acrescentou que, embora o regime tenha comemorado suas vitórias, ele ainda criticou o esporte escolhido, pois as autoridades a envergonhariam com comentários como: “Não é virtuoso que uma mulher estique as pernas”.

Falando novamente no sábado, Alizadeh disse sobre o regime iraniano: “Meu espírito conturbado não se encaixa nos seus laços econômicos sujos e nos estreitos lobbies políticos”.

A atleta também compartilhou suas esperanças para o futuro, acrescentando: ‘Não desejo nada além de Taekwondo, segurança e uma vida feliz e saudável’.

A agência da ISNA informou que Alizadeh ainda espera competir nas Olimpíadas de Tóquio ainda este ano, mas não sob a bandeira iraniana.

Reagindo à notícia, o político iraniano Abdolkarim Hosseinzadeh acusou ‘funcionários incompetentes’ de permitir que o ‘capital humano do Irã fugisse’.

Apesar dos relatos de que ela está treinando na Holanda, Alizadeh não deu nenhuma indicação de onde está atualmente e negou ter sido convidada para a Europa. A jovem esportista afirmou, no entanto, que não importa em que lugar do mundo estivesse, ela permaneceria para sempre ‘uma filha do Irã’.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui